por
 em Destaque, Geral

O sistema de convênios do Sinsej sofrerá alterações a partir de 18 de fevereiro, deixando de ser realizado por meio do sistema web do sindicato e passando a ser operado pela empresa Brasil Card. Com a modificação, os usuários receberão um cartão, que facilitará compras, pagamentos e consulta de extratos. Além disso, as linhas de telefone da entidade ficarão mais disponíveis para solucionar as questões trabalhistas.

Toda a rede conveniada já está se adequando às mudanças e não deverá haver grandes alterações na lista de serviços. Passa a ser cobrada uma taxa mensal de administração de R$ 5,90, mas apenas quando houver utilização.

Os servidores que usam os convênios receberão seu cartão nos locais de trabalho. Todas as dúvidas poderão ser sanadas na oportunidade da entrega. A partir de 18 de fevereiro, o antigo sistema web deixará de funcionar e se algum usuário não tiver recebido o cartão até este dia poderá retirá-lo na recepção do Sinsej.

O sindicato coloca-se à disposição para eventuais dúvidas.

Exibindo 47 comentários
  • Daisy Maria Borinelli
    Responder

    Como fica o Help?

    • Sinsej
      Responder

      Olá, Daisy

      A mudança acontecerá a partir de 18 de fevereiro, e a Help deve continuar prestando serviço através do Sinsej, a não ser que a própria Help não tenha interesse, o que é muito pouco provável. O cartão vem facilitar a utilização dos convênios, diminuindo a burocracia e simplificando o acesso ao usuário. De qualquer forma, em caso de dúvidas após receber o cartão, você terá oportunidade de saná-las com a própria Brasil Card ou no sindicato. Nos colocamos à disposição.

  • Katia elizandra Prochnow Oliveira
    Responder

    Legal, mais uma taxa pra pagar e quando realmente precisamos de vcs, vcs não tão nem aí. Me desfilando em 3,2,1

    • Sinsej
      Responder

      Olá, Katia

      A taxa será cobrada apenas no mês em que você utilizar o cartão e, considerando a economia que você terá usando determinados convênios, esse valor acaba sendo compensado. Quanto a outras questões que são de fato papel de um sindicato, como defender seus direitos trabalhistas, evitar perdas, prestar assistência jurídica e organizar campanhas salariais, estamos à disposição e sempre trabalhando por isso. Se tiver dúvida, entre em contato conosco. O telefone e e-mail dos diretores estão disponíveis no site e sempre tem um diretor de plantão durante o expediente da entidade. Procure também participar das atividades de formação, reuniões e assembleias promovidas pelo Sinsej. Assim terá como discutir questões como esta de forma mais produtiva, contribuindo assim, com o fortalecimento desse instrumento cada vez mais necessário ao trabalhador, o sindicato. A filiação e participação do servidor é o que sustenta nossa luta.

    • Geuza
      Responder

      Você não participa de nada não?! Deposita na minha conta os reajustes desde 2010, o vale alimentação , e tantos outros conquistados com a organização e mobilização da categoria. Que feio escrever que não ganha nada. Falta de leitura e participação. Já foi numa Assembléia de prestação de contas?
      Atenciosamente

  • Aline
    Responder

    Gostaria que tivéssemos sido consultados a respeito da troca, afinal não é assim que decidimos no Sinsej?
    Não acho justo cobrar taxa além da que pagamos.
    E gostaria de saber a respeito do dentista na sede? Já que o corte de cabelo não temos mais.
    Assim como na prefeitura estamos perdendo nossas conquistas dentro do sindicato também?
    O Ulrich poderia responder por Gentileza!
    grata

    • Sinsej
      Responder

      Olá, Aline

      Algumas mudanças que estamos realizando no sindicato são necessárias, pois tem relação com as finanças da entidade. Tudo tem sido discutido com a diretoria plena e com o conselho de representantes, e explicações são levadas para as assembleias. É importante que cada servidor busque participar dessas discussões, e uma maneira que tem se mostrado bem eficaz é ter o representante eleito pelos servidores da unidade de trabalho. Converse com a sua equipe e escolham alguém que virá a ter contato mais constante com a diretoria do Sinsej, afinal o sindicato é cada servidor filiado. Nosso foco, o verdadeiro papel de uma entidade sindical, são as lutas por dignidade no trabalho. Não podemos investir o dinheiro das mensalidades no assistencialismo, deixando de lado a organização dos trabalhadores por falta de recursos. A opção da Brasil Card nos poupará funcionários de realizarem o serviço e facilitará o uso de convênios aos servidores. O consultório odontológico nos onerava, pois é um serviço caro que era utilizado por um número relativamente pequeno de servidores e dependentes. Enfim, os serviços que estão sendo eliminados no sindicato, não fazem parte do que é atribuição do sindicato, ainda assim mantemos os convênios e melhoramos seu sistema em benefício ao usuário. Chamo sua atenção para uma reflexão sobre o que é um sindicato, e se tiver dúvidas, reclamações, sugestões, participe das atividades chamadas pelo Sinsej. Dia 21, às 14 horas, reunião do Conselho de Representantes e dia 28 de março, às 19h, assembleia geral com toda a categoria, ambas no Sinsej. Chame seu colegas de trabalho e participe!

  • Sueli Garcia
    Responder

    Não entendi que economia terei com o cartão. As lojas darão desconto para nós?

    • Sinsej
      Responder

      Olá, Sueli

      Com o cartão, os servidores terão mais facilidade para realizar compras, fazer pagamentos e consultar extratos. A empresa responsável também se comprometeu em aumentar o número de convênios, entre eles, o Fort Atacadista. Além disso, as linhas de telefone do sindicato ficarão mais disponíveis para solucionar as questões trabalhistas.

  • Tatiana Aparecida da Conceição do Rosario
    Responder

    Mas é por margem tbm esse cartão como vai funcionar ou vem um limite no cartão????

    • Sinsej
      Responder

      Olá, Tatiana

      É por margem também. O que muda é a agilidade para o servidor na hora de efetuar a comprar, verificar extrato e fazer pagamentos.

  • NEIVA
    Responder

    Taxa alta!!! Precissm rever essa taxa por mês…

    • Sinsej
      Responder

      Olá, Neiva

      Essa taxa administrativa só será cobrada quando o cartão for utilizado pelo servidor. Em contrapartida, a empresa administradora se compromete em oferecer uma gama maior de convênios, como por exemplo o Fort Atacadista. Além disso, as linhas de telefone da entidade ficarão mais disponíveis para solucionar as questões trabalhistas.

  • Marilia
    Responder

    Bom dia! Infelizmente na minha opinião estão deixando a desejar e muito o Sindicato dos Servidores que virou em nada, estou trabalhando 16 anos na Prefeitura e anos atrás tinhamos farmácia, cabeleireira e dentistas. Hoje acabaram com tudo o que tínhamos na sede, fui informada que não teremos nem destistas! Acho lastimável essa situação que chegou o SINSEJ. Pagamos 1% sobre nosso salário e agora mas taxa que vamos pagar p manter convênio! Acho um absurdo tudo o que está acontecendo. Quando chega época de eleiçao o pessoal aparecem nos pedindo votinhos p ficarem mas 4 anos p não fazerem nada pelos servidores! Sr Ulrich Beathalter!!!!! A PREFEITURA é tão criticada por vcs né???? Estão fazendo o mesmo com a SEDE. Vou esperar vcs onde trabalho pedindo votos!!!!!!!

    • Sinsej
      Responder

      Olá, Marília

      A função do sindicato é organizar a luta para defender os interesses e direitos dos trabalhadores. Por muitos anos, isso ficou em segundo plano. Todos os recursos do sindicato eram canalizados para o assistencialismo, ao passo que a Prefeitura destruía o plano de carreira, o estatuto e não concedia nem a inflação aos servidores. Quando assumimos o sindicato, havia mais de 40% de perdas salariais acumuladas. Desde 2012, começamos a devolver o dinheiro do imposto sindical. Agora, esse dinheiro acabou de vez. O sindicato perde quase um milhão de reais de receita. Não temos escolha a não ser atuar com firmeza para manter o equilíbrio financeiro da entidade, de forma a preservar sua capacidade de desenvolver o trabalho para o qual foi criada. É impossível manter o assistencialismo sem a receita do imposto. Em compensação, podemos dizer que em Joinville os servidores não mais acumularam perdas salariais desde 2010. Além disso, avançamos em inúmeras questões, como o vale-alimentação que não existia. Enquanto em vários estados e municípios os governos estão retirando definitivamente direitos, rebaixando a remuneração, atrasando salários, aqui fazemos um combate permanente contra a retirada de direitos. Podemos trocar tudo isso pelo velho assistencialismo, mas tenho certeza que não vale a pena. De qualquer forma, estamos sempre abertos ao debate, seja por uma visita à sede do sindicato seja nas assembleias e atividades coletivas.

  • Geuza
    Responder

    Brigando por 5,90…Jesus…. Porque não participa dos atos e assembléias, pra conquistarmos ganho real e não precisamos ficar chorando por merreca. Por isso quase não leio comentários aqui fico bem indignada. O falta de consciência…..

  • Ana maria
    Responder

    Nao tenho o cartao ..se eu precisar comprar algi em alguma loja …antes do dia 18 como funciona

  • Marcos
    Responder

    O vale alimentação de janeiro não foi creditado. O que houve?

  • Isabel Cristina ferreira Trautmann
    Responder

    Boa tarde
    Gostaria de parabenizar a equipe do sinsej que a organização do chalé está ótima.
    Vocês fizeram a mudança certa a equipe que trabalha lá é super atenciosa e dedicada.

    Parabéns. Vocês merecem

    • Geromari Rocha
      Responder

      Concordo com você Isabel!!!
      A equipe lá é nota 1000!

  • Djanira
    Responder

    Boa tarde senhores, precisamos de um convênio com um plano de saúde decente, assim como o Sindi PD tem convênio com a AGEmed, o Sinsej poderia providenciar um convênio para que possamos pagar MENOS CARO por um plano de saúde. Não estamos pedindo dinheiro para vocês, só que busquem para nós um convênio com um plano que não seja tão caro e que não tenha uma co participação tão absurda.

  • Luciano
    Responder

    Tomara que dê pra voltar a comprar em alguma loja de eletrodomésticos (saudades da Salfer).

  • Sueli Garcia
    Responder

    Estou com o cartão em mãos, li o Manual do Usuário, mas fiquei com várias dúvidas:
    1- no manual consta que há 2 tipos de cartão. Qual é o tipo do cartão que recebemos: cartão Servidor ou cartão Convênio?
    2- no site do Sinsej consta que a taxa mensal ref. ao uso é de R$ 5,90, mas no formulário de retirada do cartão consta R$ 6,90. Qual é o valor correto?
    3 – no manual constam várias datas para liberação do limite e posterior desconto em folha. A cada data de liberação corresponde uma data para desconto. Então: QUEM escolhe a data: o servidor, o Sinsej ou a empresa do cartão? Ou a data já está pré-determinada?
    4 – consta também que para compras há 2 tipos de parcelamento: ROTATIVO e NORMAL, sendo que no Rotativo “AS COMPRAS SÓ PODEM SER PARCELADAS COM ENTRADA DENTRO DO SEU SALDO” e no Normal “O SEU LIMITE É DOBRADO E O PARCELAMENTO PODE SER COM OU SEM ENTRADA”. Quem escolhe o tipo de parcelamento?
    5 – ao acessar o site http://www.brasilcard.com.br, aparece a mensagem de que O CERTIFICADO DE SEGURANÇA DO SITE NÃO É CONFIÁVEL, QUE O CERTIFICADO APRESENTADO PODE TER SIDO GERADO PELO PRÓPRIO E QUE O GOOGLE CHROME NÃO CONFIA NAS INFORMAÇÕES. E não consigo, de forma alguma, acessar o site.
    Tentei várias vezes, mas não é possível. O que faço?
    Aguardo retorno, pelo que agradeço

    • Sinsej
      Responder

      Olá, Sueli

      Desculpe a demora em responder!
      Sobre as dúvidas.
      1 – é o mesmo tipo de cartão, só muda o nome.
      2 – A taxa é de R$ 5,90, como divulgado no site do sindicato – houve um erro na impressão do valor no formulário.
      3 – Não há alteração. A Prefeitura lança o desconto no pagamento.
      4 – O sistema funciona da mesma forma: o servidor pode escolher se usa o seu limite a vista, ou então se parcela.
      5 – É provável que a máquina que estás utilizando bloqueio certas páginas. Você tem duas opções: a primeira é ir em configurações e liberar o acesso ou então baixar o aplicativo BrasilCard (para ter acesso completo, consulta de saldo).

      Se ainda restou dúvidas, peço que você entre em contato por telefone, para conseguirmos responder de forma mais rápida. Abraço!

      • Sueli Garcia
        Responder

        Agradeço o retorno, mesmo tardio. Mas algumas respostas NÃO PROCEDEM; para exemplificar, cito o item 3, pois HOUVE ALTERAÇÃO, SIM, pois constatei isso na data de liberação do limite: pelo Sinsej era liberado no dia 11 de cada mês. Agora podemos comprar só a partir do dia 16.
        As outras informações do manual então ficam sem efeito, como: PARCELAMENTO ROTATIVO OU NORMAL, DOIS TIPOS DE CARTÃO.
        Quanto aos convênios, o que salvou foi o Fort Atacadista. E concordo que a MILIUM é INDISPENSÁVEL, assim como alguma loja de ELETRODOMÉSTICOS. Vamos torcer para que os convênios seja ampliados, porque assim complicou a vida de muita gente. Espero pela ampliação dos convênios. Agradeço pela atenção.

  • Karla
    Responder

    E quem desconta Uniodonto. Continuará?

    • Sinsej
      Responder

      Olá, Karla

      Ainda está no período de transição. A consulta dos convênios pode ser feita pelo aplicativo da empresa, BrasilCard. Abraço!

  • Vera
    Responder

    Bom dia

    Os postos de combustíveis nao estao atendendo pelo BrasilCard. Gostaria, de saber qdo vao atender…??
    Estava contando com o convenio.

    Grata!

    • Sinsej
      Responder

      Oi, Vera!
      Temos uma rede mais ampla do que antes de postos atendendo pela Brasil Card. Você tem como verificar pelo site da Brasil Card ou pelo aplicativo da mesma. Se não conseguir efetuar compra, deve ligar para a empresa, mas acredito que já foi resolvido o problema, se houve problema.

    • Geuza Torres Livramento
      Responder

      Precisamos de reajustes e ganhos reais pra não dependermos disso.

      #CampanhaSalarial2018

  • Geromari Rocha
    Responder

    Boa noite!
    Achei ótimo o novo sistema, mas a Millium precisa estar entre os conveniados pois é a loja de maior utilidade que temos.
    Achei que continuaria entre as credenciadas.
    Gostaria de saber porque não.
    Um abraço!

  • cleusa
    Responder

    afalta de comunicacao entre servidores e sindicato e o que mais pesou nisso tudo.
    nao temos mais convenios em nada nas lojas de roupas calcados e departamentos como tinham antes. no tal saite nem existe a cidade JOINVILLE

    • Sinsej
      Responder

      Olá, Cleusa

      Assim como explicamos para Rosilene, a transição para o atual sistema ainda está sendo feita pela empresa BrasilCard. A perspectiva é que o quadro de conveniados permaneça praticamente o mesmo, mas, infelizmente, algumas empresas podem optar por não aderir ao novo formato. Entretanto outras, como o Fort Atacadista, já estão disponíveis para uso dos servidores. Apesar dos transtornos que acontecem em qualquer mudança, o novo sistema vai evitar que o servidor necessite fazer deslocamentos ao sindicato para retirar autorizações, assim como evitar filas quando o sistema não funciona na loja conveniada. O site da BrasilCard tem a lista de convênios que já foram credenciados e caso o servidor queira indicar algum é só solicitar que o estabelecimento entre em contato com a operadora pelo 0800 que está disponível no site.
      Por fim, ressaltamos que o sindicato está à disposição para o que for necessário e convida os servidores para a assembleia no dia 28 de março, onde daremos início à nossa campanha salarial, faremos a prestação de contas do ano de 2017 e estaremos á disposição para esclarecer as últimas mudanças que aconteceram em relação aos convênios do Sinsej. Abraço!

  • Silvia
    Responder

    Pois é, as lojas Milium, Valdir móveis e Moveis América, como fica? Além da farmácia do Sesi.

  • Luciano
    Responder

    Gente, a lista de conveniados dessa BrasilCard é mínima, tem pouquíssimas opções. Nenhuma loja boa faz parte da lista. O negócio é se desfiliar do Sinsej. Como pode trocar um sistema tão bom para uma porcaria dessas?

  • Caroline Borba
    Responder

    Pelo amor de Deus, incluam nos convênios a MILIUM, SALFER, MÓVEIS AMÉRICA, PRIMAVERA SPORT CENTER,
    VANESSA MODAS, APOLO CALÇADOS, entre outros. Os convênios atuais só DEIXAM A DESEJAR. Tem gente fazendo campanha para desfiliação em grandes proporções. Pelos comentários, esta diretoria NÃO SE ELEGE MAIS. Abram os olhos!!!

    • Sinsej
      Responder

      Caroline, a Brasil Card está consultando diversos comércios para que sejam incluídos no serviço. Algumas já fazem parte, a Millium, por exemplo. Suas sugestões são bem-vindas, podem ser enviadas diretamente à empresa que administra o cartão. Pedimos um pouco de paciência aos usuários, pois o serviço ainda está em processo de construção, e vai melhorar com o tempo. Agradecemos pela sua contribuição

  • FABIANE REGINA CORREA DA ROSA
    Responder

    Em um cenário de crise financeira que assola o país , onde não temos nem a garantia de correção inflacionária sobre os nossos salários una taxa de 5,90 ao mês é abusiva levando-se em conta quem utiliza mensalmente os convênios. Ao final de um ano o valor será de R$ 70,80 maior que as taxas de administração de muitos cartões de crédito. O que me indigna é que nós associados não fomos consultados , sendo que o que se busca é o bem comum. Concordo que as lutas salarias , melhores condições de trabalho são o objetivo principal , porém o sindicato engloba muito mais inclusive a democratização e ampla discussão de todas os assuntos.

    • Sinsej
      Responder

      Fabiane, veja como é importante que vocês tenham representante no local de trabalho, pois o Sinsej leva questões como esta para discussão nas reuniões do conselho de representantes e nas assembleias. Por isso convido você a levantar essa discussão na sua unidade de trabalho, que elejam seu representante, para que a participação de vocês na construção do sindicato seja mais efetiva.
      Quanto à taxa, é mínima, levando em consideração o valor que vão economizar no uso dos convênios. Estamos ampliando nossa rede de conveniadas e só o que você vai economizar numa compra no Fort Atacadista, por exemplo, já elimina com folga o gasto ao qual você se refere. Lembro que esta taxa só será cobrada no mês em que utilizar o cartão, então você tem a opção de não utilizar se não achar que é vantagem. Em todo caso estamos à disposição para qualquer dúvida ou problema que o serviço venha a lhe trazer.

  • Joel T. Felipe
    Responder

    Quanto a garantir os nossos direitos questiono vocês, pois quando da troca da cesta básica pelo Green Card, questionei o representante do sindicato na minha secretaria qto a perda de ganhos que teríamos. Ele afirmou que o sindicato fiscalizaria isto. Pois bem, com o valor creditado com o Green Card não compramos 80% do que vinha na cesta. Registrado a minha reclamação!!!

    • Sinsej
      Responder

      Joel, há um equívoco na sua colocação. Na época em que a cesta foi substituída pelo vale alimentação, ela tinha valor bem inferior ao que conquistamos com o Green Card. Ainda hoje, se fizer as contas de fato, constatará que o valor que recebemos é bem superior ao equivalente aos produtos que vinham na cesta básica e anualmente temos conseguido que a correção do mesmo acompanhe minimamente a inflação, quando não mais. Além do mais, quando os servidores recebiam a cesta básica, não tinham a possibilidade de escolher itens que realmente consumiam. Repense seus cálculos e venha participar da assembleia que acontecerá no dia 28 de março, às 19 horas, no Sinsej. Se não estiver convencido, pode levantar a discussão na atividade e fazer sua proposta para nossa campanha salarial. O sindicato é cada servidor, por isso temos que construir juntos.

  • Sueli Garcia
    Responder

    Duas solicitações:
    1 – as parcelas que estão sendo descontadas pelo antigo sistema AINDA DEVERIAM constar no site do Sinsej para consulta e acompanhamento do servidor, que poderá se programar para uso futuro do cartão;
    2 – considero importante que a RELAÇÃO DE CONVÊNIOS do Cartão TAMBÉM conste no site do Sinsej, pois fica mais fácil consultar. A sugestão vem de funcionários que não conseguiram acessar o site do Cartão porque a senha estava registrada em casa. Temos tantas senhas que nem sempre lembramos de todas elas e muita gente não anda com as senhas anotadas. Assim, facilitaria a consulta e uso do cartão.

  • Daniela Inácio
    Responder

    Olha acabei lendo vários comentários e acredito que vcs devem sim tentar reaver alguns convênios muitos infelizmente só permanecem por conta dessas facilidades e pelo que o seu muitos como eu gostava de alguns locais(Milium exemplo) se empenhem tanto vocês quanto a operadora de cartão para trazer os que tínhamos e alguns que realmente agreguem valor aos sócios querendo ou não o valor que investimos na manutenção e para se ter alguns benefícios e é o que se espera receber acredito que a mudança requer adaptação e que vocês vão se empenhar nas sugestões.

    • Sinsej
      Responder

      Olá, Daniela. Estamos em negociação com várias empresas. Milium, por exemplo, deve integrar o sistema da BrasilCard muito em breve. A tendência é termos grande parte da antiga rede integrada ao novo sistema, com o acréscimo de novos estabelecimentos, como é o caso do Compre Fort.

  • Cátia Simone Passos
    Responder

    Bom dia!
    Ñ recebi esse cartão, como devo proceder?

    • Sinsej
      Responder

      Olá, Cátia

      Você pode passar no Sinsej e retirar na recepção. Estamos abertos das 8 horas às 18 horas, sem fechar para o almoço.

  • Inez Maria korb
    Responder

    Sei que pelo fato de estar aposentada e meu reajuste não estar vinculado ao sindicato,tenho sido omissa a buscar informações. Mas o único serviço que usava com mais frequência era o odontológico, que no ano passado paguei R$30,00 a troca de uma restauração, agora paguei pelo mesmo serviço, na clinica indicada pó sindicato o absurdo de R$150,00. Não desmerecendo o trabalho do profissional, mas sim diferença de custo no sistema anterior para o atual. Absurdo. Não sei se vale a pena continuar sendo associada do sindicato.

Deixe um comentário