por
 em Joinville
Mais uma vez, servidores demonstram sua disposição de luta

Mais uma vez, servidores demonstram sua disposição de luta

Tradicionalmente, antes das paralisações da categoria, a Prefeitura de Joinville espalha ameaças de descontos dos dias parados. A mobilização de amanhã (30/5) promete ser grande. De todos os cantos da cidade o sindicato está recebendo a confirmação de que unidades inteiras irão paralisar. Diante disso, o governo demonstra desespero e redobra o assédio moral.

O Sinsej orienta os servidores a não se deixarem intimidar. Mobilizações sempre trazem riscos, mas os maiores prejuízos que os trabalhadores podem sofrer são a desvalorização permanente dos salários, a aprovação de reformas que retiram direitos, a perpetuação do assédio moral, a destruição das entidades de organização da classe, o cerceamento do direito à manifestação, entre inúmeros outros ataques.

Os diretores do Sinsej sempre tratam com prioridade a negociação dos dias parados após paralisações e greves. Até hoje os servidores de Joinville não tiveram nenhuma falta injustificada na carreira. Desta vez, não há motivos para ser diferente. A força do sindicato na mesa é sempre proporcional à capacidade de mobilização da categoria e, mais uma vez, essa categoria demonstra sua grande disposição de luta.

Exibindo 4 comentários
  • Servidor
    Responder

    Já tem ameaça por causa desse movimento,por exemplo ficou sem gasolina tem onibus, se faltar será descontado, se chegar atrasado por causa do onibus, também será descontado. E tem mais, acho dificil ele dar o aumento, vai jsutificar que não é possível por causa desse movimento.

  • Servidor
    Responder

    Em pronunciamento agora na TV Câmara o vereador Fábio Dalonso diz que o sindicato está sendo oportunista com a paralisação de amanhã. Porque ele não foi contra o aumento do IPTU?
    Disse mais “alertou que a paralisação de amanhã está com pouca adesão”. Tentando desmotivar o servidor.

  • Daniela
    Responder

    Fui tirada de meu local de trabalho sem comunicado. Em um horário que não posso trabalhar… O que mais esperar?

Deixe um comentário