por
 em Joinville
Novamente, nenhum avanço na reunião | Foto: Francine Hellmann

Novamente, nenhum avanço na reunião | Foto: Francine Hellmann

É hora de paralisar!

Os diretores do Sinsej se reuniram com o prefeito Udo Döhler e equipe na manhã de hoje para mais uma rodada de negociação. Essa audiência estava agendada para amanhã e foi adiantada. Não houve por parte da Prefeitura mais nenhum avanço nas respostas da Pauta de Reivindicações. Os servidores deflagraram estado de greve em 24 de maio e paralisam na próxima quarta-feira (30/5). Nesse dia, haverá assembleia às 9 horas, em frente à Prefeitura.

Questionado pelo sindicato, Döhler afirmou que estão encerradas as negociações. Na semana passada, a Prefeitura ofereceu um reajuste de 1,69% em agosto e um aumento de R$ 13,05 no vale-alimentação. Nenhum outro item da pauta foi atendido e, até o momento, nem mesmo essa proposta do governo foi oficializada. A única novidade da reunião desta segunda foi responsabilizar a greve dos caminhoneiros pelo não atendimento das reivindicações dos servidores.

Novamente, nenhum avanço na reunião | Foto: Francine Hellmann

Novamente, nenhum avanço na reunião | Foto: Francine Hellmann

“Lamentamos a falta de esforços em tentar atender as pautas, algumas delas sem nenhum impacto financeiro, como a regulamentação da lotação dos servidores sobre a qual conversamos há tantos anos”, disse o presidente do Sinsej, Ulrich Beathalter, no final da reunião.

Para o sindicato, a única forma de sensibilizar a Prefeitura é fazer uma grande paralisação na quarta-feira e construir uma greve geral da categoria. Participe.

Exibindo 5 comentários
  • ALEX MACIEL FERNANDES
    Responder

    Penso que o caminho é a paralisação e, quiçá, a greve geral da categoria. Acho até que o momento histórico é propício para o engajamento numa greve geral nacional contra tudo que tem acontecido no país. Mas, voltando ao contexto local, acredito que os trabalhadores precisam ter claro para si que a greve é pela pauta a ser atendida, mas um bom começo é a reabertura das negociações. Sabemos também que dificilmente todos os pontos da pauta serão atendidos, portanto, precisamos estabelecer prioridades na nossa pauta; o que consideramos minimamente aceitável para este ano.

  • Terezinha Martins
    Responder

    Estamos na luta! O IPTU, passage
    m de ônibus, gasolina, luz , cesta básica tiveram um aumento exorbitante, é esse prefeito vem oferecer essa migalha. É uma safadeza.

  • Servidor
    Responder

    Servidor tomem como exemplo os caminhoneiros. Chega de ser achincalhado por esse prefeito.
    É uma grande falta de respeito com o servidor. Chega de perseguição. Vamos nos valorizar. Todos na frente da prefeitura.

  • Agente administrativo ESCOLAR
    Responder

    Após eleições.

    Só para todos lembrarem do discurso do nosso prefeito no dia da sua posse em 2013.

    https://www.youtube.com/watch?v=-t06hdBeB8U

    Depois das eleições.
    Ferro no servidor.

  • Professor Municipal
    Responder

    Reajuste do professor rede estadual.
    Sinte:
    Para o mês de maio o reajuste previsto é de 5% restando os outros 5% para o mês de dezembro.

Deixe um comentário