Todos à assembleia amanhã (21/6), 9 horas, em frente a Prefeitura!

Amanhã servidores participam de assembleia, às 9 horas, em frente à Prefeitura | Foto: Kályta Morgana de Lima

Proposta será avaliada na assembleia de amanhã | Foto: Kályta Morgana de Lima

Na manhã de hoje, terceiro dia de greve, os servidores de Joinville fizeram mais uma manifestação em frente à Prefeitura. Pela primeira vez desde que o movimento foi deflagrado, o governo recebeu os diretores do sindicato e apresentou alguns avanços.

No entanto, o documento oficializando essa proposta só será entregue à tarde. Diante disso, os trabalhadores decidiram que só haverá votação amanhã (21/6), em uma nova assembleia, às 9 horas, na Prefeitura. Antes, às 8 horas, o Conselho de Representantes e os comandos de greve farão uma reunião no sindicato.

Nova proposta da Prefeitura

Na mesa de negociação de hoje, Udo Döhler propôs respeitar a data-base, retroagindo o reajuste de 1,69% a maio. Também prometeu voltar a pagar o abono natalino, direito estatutário que ele havia suspendido há três anos, e flexibilizar o ponto em cinco minutos.

Em relação aos dias parados, o prefeito propôs o abono da paralisação de 30 de maio e da assembleia agendada para amanhã. Todos os outros dias parados poderão ser repostos em até 90 dias. Além disso, as horas pendentes da greve do ano passado poderão ser repostas no mesmo prazo. Dessa forma, afasta-se o risco de descontos e faltas injustificadas.

Os demais pontos oferecidos antes do início da greve permanecem válidos. São eles: reajuste de R$ 13,25 no vale-alimentação, pagamento de uma gratificação de interiorização aos agentes comunitários de saúde (que varia entre R$ 83 a R$ 147) e alteração na tabela salarial do magistério para contemplar a possibilidade de doutorado e ampliar um quinquênio.

Equipes devem conversar

O presidente do Sinsej, Ulrich Beathalter, ressaltou a importância de todas as equipes conversarem sobre a proposta e manifestarem sua opinião amanhã. Unidades que não têm representante eleito devem enviar ao menos um colega em nome do local à reunião que acontece às 8 horas.

O principal elemento a ser avaliado é a disposição da categoria de manter e ampliar o movimento. “Precisamos saber o quanto cada companheiro está disposto a se doar, não apenas por um dia de paralisação, mas entrando em greve”, alertou Ulrich. “Saber se desejamos resgatar de fato os direitos que nos foram surrupiados, se queremos de fato melhorar nossas condições de vida e de trabalho”.

Fotos do terceiro dia da greve

Exibindo 9 comentários
  • Alexsandro Garcia
    Responder

    Na prática não ofereceram absolutamente nada!!! Nem há o que ser votado, as migalhas de natal?
    No que tange a reposiçao das horas não trabalhadas … Artigo 2º da Lei 7.783/89 (que nem sei se é válida ainda) mas …Para os fins desta Lei, considera-se legítimo exercício do direito de greve a suspensão coletiva, temporária e pacífica, total ou parcial, de prestação pessoal de serviços a empregador.
    Portanto, entendo que nossa postura quanto a isso deve ser inquestionável, absoluta, inabalável, inflexível, única e unânime – NÃO EXISTE sequer a possibilidade de discutir isso, NÃO REPOMOS AS HORAS E PONTO FINAL, para todo o sempre, eternamente, jamais, nunca!!
    Quem precisa ser flexível é o Sr. Prefeito, nossa elasticidade já está em ponto de ruptura.
    Fomos aqui convocados para uma GREVE, e não para uma manifestação com rabo entre as pernas, acordo do tipo: deixa eu protestar que depois te pago essas horas chefe.
    A prefeitura não daria os benefícios apenas a quem fez greve, pois estaria incentivando a grave aos demais, já o Sinsej por sua vez, aceitando acordos para pagar as horas, apenas estimula a não aderirmos nas próximas e corrobora com o papinho de quem se acovarda em participar seja quais forem seus motivos.
    Acredito que não chegamos até aqui pra desistir e sair falando fino. Socializando o bônus e privatizando o ônus aos que têm determinação. Perdoem se fui rude. É claro até para uma criança.

  • Marcos
    Responder

    Penso que o volta do pagamento das licencas premio seja um item muito importante , pois trata-se de um direito tirado por decreto .

  • Rosana
    Responder

    O povo brasileiro em geral é acomodados,agora aceitar menos que a inflação é demais ,principalmente porque sabemos que a inflação que chega aos nossos bolsos é bem maior ,estou a mais de 4 anos esperando receber minha licença premio ,que essa gestão cortou como muitos outro diretos que tínhamos.

  • Servidor Indignado
    Responder

    Olá! Gostaria de compreender melhor um item citado na nova proposta. Segue o trecho que não compreendi:

    “e flexibilizar o ponto em cinco minutos.”

    Na IN 01/2017 existe o seguinte item abaixo:

    “8. Atrasos

    Serão tolerados atrasos de 5 (cinto) minutos.”

    Este item não foi retirado da IN 01/2017 depois da decisão liminar do juiz Roberto Lepper.

    O que seria esse “flexibilizar”?

    Obrigado.

  • Dúvida
    Responder

    Boa Tarde, Os agentes administrativos das recepções das unidades de saúde ganham a gratificação interiorização, mas no valor médio de 100 reais, neste caso os agentes comunitários ganhariam em alguns mais? ou esse valor será reajustado?

    • Sinsej
      Responder

      Olá, Andresa

      O valor pago de Gratificação de Interiorização é calculado de acordo com a distância da Unidade de Saúde até a Secretaria de Saúde, assim algumas ACS receberão o valor mínimo de 83,00 e outras chegarão ao valor máximo que é de 147,00. O valor que você recebe está de acordo com este cálculo.

  • Marcos
    Responder

    Servidores, atenção! Se analisarmos bem, isso que foi apresentado hoje não pode ser considerado uma nova proposta. Os principais itens ficaram de fora da pauta, entre eles o ganho real além da “inflação”, o aumento do Vale e muitas outras reivindicações de ordem igualmente importantes para todos. Cabe aqui ressaltar outro absurdo, que é o pagamento dessas horas que ficamos de greve,tendo em vista que qualquer ganho com a greve, beneficiará todos os servidores, e não é justo que os que aderiram à paralização sejam penalizados.

  • Yasmin Estudante
    Responder

    oii, gostaria de saber se a greve acabou ou nao?

Deixe um comentário