por
 em Geral, Joinville

Na tarde de quarta-feira (24/10) os trabalhadores do IFC de Camboriú estavam reunidos em assembleia, quando foram surpreendidos com a invasão de um grupo de apoiadores do candidato à presidência, Jair Bolsonaro. Sob as palavras de “Viva Pinochet! Viva Pinochet! [Ele] matou quem tinha que matar. Viva Pinochet, porque se ele tivesse feito o que [fez] aqui no Brasil não teria ‘isso aí’”¹, a assembleia dos servidores precisou ser interrompida.

A diretoria do Sinsej se solidariza com o Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica (Sinasefe) e repudia todo e qualquer ataque à organização dos trabalhadores. Os diretores também se posicionam contra e condenam a invasão de universidades pela polícia como tentativa de impedir reuniões e debates de professores e alunos sobre o tema fascismo.

Esses acontecimentos não estão isolados. Eles são um reflexo da crescente polarização da luta de classes e da tentativa de um Judiciário bonapartista de impedir a organização dos trabalhadores e da juventude.

A diretoria do Sinsej se solidariza com toda a luta dos trabalhadores e da juventude. E reafirma que este é o momento de discutir, debater e se manifestar, com os métodos operários, contra toda a forma de repressão do Estado.

¹Confira aqui nota do Sinasefe.

Deixe um comentário