por
 em Regional
São os trabalhadores que mantém a alta qualidade dos serviços públicos ofertados na cidade | Foto: Aline Seitenfus

São os trabalhadores que mantém a alta qualidade dos serviços| Foto: Aline Seitenfus

O setor de Saúde do serviço público municipal de Joinville é composto por aproximadamente 4,5 mil profissionais. Destes, 1,4 mil trabalham no Hospital São José, e o restante atua em unidades básicas de saúde, Estratégia Saúde da Família, pronto atendimentos, secretaria, farmácias, vigilância epidemiológica, Unidade Sanitária, Centro de Controle de Zoonoses, Centrinho Luiz Gomes, presídio, centros de atenção psicossocial, Policlínica do Boa Vista, PAM Bucarein, Samu, Vigilância Sanitária, Laboratório Municipal, entre vários outros locais.

Esse é um verdadeiro exército de salva-vidas, que cuida de uma comunidade de 570 mil habitantes em Joinville. Muitos dos serviços são ofertados também à população das cidades da região, o que estende a cobertura para cerca de 1 milhão de pessoas.

Eles cumprem com excelência os programas e estratégias do Ministério da Saúde mesmo convivendo com falta grave de pessoal, materiais básicos, medicação, problemas de estrutura e falta de valorização profissional. Exemplos foram os atrasos na entrega da reforma do PA Sul, que concentrou os atendimentos nos outros dois PAs da cidade, causando meses de superlotação (acima do que já era comum); a inauguração de unidades de saúde sem contratação de mais agentes comunitários; a demora na inauguração de novos postos; os casos de dedetização irregulares que intoxicaram servidores; as alterações no Plano Nacional de Atenção Básica que aumentaram o número de casas que cada ACS deve visitar; a constante superlotação no São José.

Mesmo diante de tudo isso, são os trabalhadores que mantém a alta qualidade dos serviços públicos ofertados na cidade. Muitas vezes, eles tiram dos próprios bolsos para promover campanhas de vacinação, prevenção ao câncer de mama, ao suicídio e ao câncer de próstata, entre outras iniciativas. São eles também que correm atrás dos indicadores exigidos para receber verbas do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica.

Para exigir dos governos reconhecimento e condições de atendimento à população, esses guerreiros frequentemente precisam cruzar os braços. Tudo isso em um cenário nacional de avanço da privatização do serviço público e de corte cada vez maior de verbas.

No último domingo, 28 de outubro, foi o Dia do Servidor Público. Para homenagear a categoria, ao longo desta semana o sindicato divulgará o trabalho heróico de diferentes setores do serviço público municipal.

O Sinsej tem orgulho de representar esses guardiões do serviço público. Assista ao vídeo de homenagem que o Sinsej preparou para os servidores.

Deixe um comentário