Todos à paralisação na próxima quinta-feira (29/11), a partir das 9 horas, em frente à Prefeitura

Servidores estão em estado de greve e paralisam na próxima quinta-feira (29/11) contra cortes no vale-alimentação | Foto: Aline Seitenfus

Servidores estão em estado de greve e paralisam na próxima quinta-feira (29/11) contra cortes no vale-alimentação | Foto: Aline Seitenfus

Em assembleia realizada ontem (21/11), os servidores de Joinville votaram, por unanimidade, pelo Estado de Greve. A decisão foi tomada diante do anúncio do governo de que, a partir de janeiro de 2019, serão efetuados cortes no vale-alimentação em caso de gozo de qualquer licença legal, por exemplo, por doença ou maternidade.

A Secretaria de Gestão de Pessoas já deu uma amostra de como vai funcionar. Na última semana, vários servidores tiveram o benefício reduzido ou totalmente cortado por usufruírem de licenças ou por estarem doentes.

Devido à mobilização da categoria, foi possível reverter esses descontos e garantir o pagamento integral do vale-alimentação até dezembro deste ano. Contudo, em contato com o presidente do Sinsej, o prefeito informou que a medida voltará a ser aplicada a partir de janeiro de 2019.

Paralisação e greve

Os servidores definiram também uma paralisação, para quinta-feira (29/11), a partir das 9 horas, em frente à Prefeitura. Caso o governo não volte atrás de sua decisão, neste mesmo dia será deflagrada a greve da categoria.

Em 2015, Udo Döhler aplicou uma série de cortes. A licença-prêmio e o abono natalino faziam parte do pacote, junto ao vale-alimentação. Porém, assembleias massivas impediram que o vale fosse retirado.

Novamente é hora da categoria se mobilizar e impedir a concretização dessa ameaça.

Reposição das horas de greve

Os servidores que ainda não conseguiram repor as horas da greve realizada durante a Campanha Salarial têm prazo estendido até o dia 20 de dezembro. O Sinsej orienta os trabalhadores a organizarem a reposição com a chefia imediata o quanto antes. Quem encontrar resistência por parte das chefias deve procurar os diretores do sindicato para resolverem a situação.

Assembleia do magistério transferida

A assembleia do magistério, que estava agendada para a próxima terça-feira (27/11), foi transferida para o dia da paralisação. A discussão sobre o Calendário Escolar 2019 vai acontecer junto à cobrança em torno do corte no vale-alimentação.

*Texto atualizado em 22 de novembro, às 15h01.

Exibindo 4 comentários
  • Carla
    Responder

    Isso cabe também para férias???

    • Sinsej
      Responder

      Olá, Carla

      A principio o governo pretende pagar somente os dias trabalhados. Em assembleia ontem, os servidores decidiram entrar em estado de greve e paralisar as atividades no dia 29 de novembro. Participe!

  • Dione Melo
    Responder

    Lá vamos nós de novo…todo ano a mesma coisa…quem não sabe negociar só tem a opção de greve greve greve.

  • Hermínia Santos
    Responder

    Já que os comissionados – coordenadores e FGs também recebem o Vale-Alimentação e sendo que estes não registram entrada-saída no ponto biométrico, como é feito o controle das faltas e atestados, para dai pagar ou não os valores ref. ao vale-alimentação para estes?

Deixe um comentário