No dia 13 de dezembro de 2018 os diretores do Sinsej acompanharam uma reunião solicitada pelos servidores do Centro de Referência de Assistência Social (Creas) do Bucarein, Norte e Sul com o gerente da Unidade de Proteção Social Especial, Deyvid Inácio Espindola Luz.

A equipe técnica dessas unidades, formada por psicólogos, assistentes sociais e terapeutas ocupacionais, apresentou uma pauta com demandas que envolvem os três Creas.

O principal problema apontado pelos trabalhadores, além da falta de profissionais para o quadro, refere-se à morosidade do trâmite dos relatórios técnicos até seu destino final. Para os servidores responsáveis pelos pareceres, algumas rotinas – como a suposta correção realizada pela gerência – retardam substancialmente a celeridade que os usuários necessitam para a solução de suas demandas. Em alguns casos, as alterações acabam interferindo na autonomia técnica dos profissionais responsáveis e prejudicam a população. Os Creas são responsáveis pelo atendimento a pessoas que estão em situações vulneráveis, como idosos, crianças e mulheres vítimas de violência.

Para a diretora do Sinsej Flávia Antunes os servidores dos Creas estão de parabéns pela iniciativa. “O movimento de organização das três equipes é fundamental para que tanto os servidores se reconheçam e se fortaleçam dentro das dificuldades encontradas no desenvolvimento de suas atribuições nessa área tão sensível do serviço público, quanto para que a gestão ouça suas equipes e procure junto com elas as melhores alternativas para o atendimento das demandas dos usuários”.

Os trabalhadores pedem que sejam mantidos os encaminhamentos propostos nos relatórios pelas equipes. Também pedem: capacitação dos servidores em relação ao Sistema Eletrônico de Informação da Prefeitura (SEI) e G-MAS (específico das equipes técnicas); supervisão institucional; esclarecimento sobre a não liberação dos servidores para participação na Conferência Municipal da Criança e do Adolescente; esclarecimento quanto à concessão de licenças saúde e prêmio.

Uma nova reunião está marcada para o dia 7 de fevereiro de 2019. Até lá, os servidores esperam que a situação dos relatórios esteja resolvida.

É importante lembrar ainda que esse é um importante exemplo para toda a categoria. Os problemas se resolvem com organização coletiva.

Deixe um comentário