por
 em Joinville

Lute contra a Lei da Mordaça no dia 11 de abril

A ONG Escola Sem Partido (ESP) retorna a Joinville e busca novamente implantar o projeto conhecido como Lei da Mordaça. O Sinsej convida a categoria a se mobilizar e repudiar este retrocesso, em uma manifestação no dia 11 de abril, às 18h30, com concentração em frente ao Centreventos Cau Hansen.

Em 2016, o Sinsej, ao lado do Sinte Joinville, de estudantes e da comunidade conquistou uma grande vitória com o arquivamento do projeto da ESP que corria na Câmara de Vereadores. Agora, será realizada na cidade uma nova audiência pública sobre o tema em 11 de abril, na CVJ, às 19 horas. A atividade está sendo organizada pelos defensores do projeto e terá a participação da deputada estadual Ana Campagnolo (PSL/SC), conhecida por atacar professores e direitos estudantis em suas redes sociais, e do idealizador da ESP, Miguel Nagib.

O Projeto da Lei da Mordaça é uma tentativa de apagar a história da humanidade, de limitar o acesso dos jovens à ciência, impedir o pensamento crítico, a discussão política e a livre organização estudantil. Junto com a Reforma do Ensino, ele aprofunda o sucateamento da educação pública. O novo projeto, que tramita na Câmara dos Deputados, ataca mais abertamente as liberdades democráticas e as conquistas arrancadas pelo movimento operário e estudantil. Ele fere o direito de livre manifestação, organização e pensamento, pretendendo eliminar o verdadeiro objetivo dos grêmios estudantis.

A Lei da Mordaça é também uma tentativa de calar os professores. Seus idealizadores escondem que têm partido, ideologia e que não estão ao lado dos trabalhadores e da juventude.

Sabe-se que é impossível não discutir política nas salas de aula em um país onde a educação pública está cada vez mais sucateada. Discutir os problemas do serviço público e se manifestar não é doutrinação, é defender o que a classe trabalhadora conquistou com suor e sangue.

Não podemos permitir que professores sejam calados e que os estudantes sejam privados de conhecimento. Lutamos para que os estudantes e professores tenham acesso a todo conhecimentos que a humanidade acumulou através dos tempos.

Abaixo a lei da mordaça.
Abaixo escola sem partido.
Por uma educação pública, gratuita e para todos.
Construir o sindicato dos estudantes.
Fora Bolsonaro.

Deixe um comentário