A primeira rodada de negociação de data-base encerrou depois de 4 horas de discussão sobre os itens da pauta aprovada na assembleia do dia 22 de março. O primeiro ponto debatido foi a cláusula econômica. Udo se recusou a pagar a reposição da inflação. Também demonstrou total desinteresse nas cláusulas relacionadas às condições de trabalho que afligem a categoria e impactam na qualidade do serviço prestado à população.

Ainda que os índices econômicos da cidade contrariem os argumentos do governo, o prefeito apresentou a proposta de 3% de reajuste parcelado em duas vezes: 1,5% em maio e 1,5% em setembro, baseado em números que não condizem com a realidade, uma afronta aos servidores.

Diante das propostas muito aquém das reivindicações, a direção do Sinsej lembrou ao prefeito que o salário baliza a vida dos trabalhadores. A proposta apresentada pelo governo não condiz com o aumento do custo de vida que tivemos nos últimos períodos. “Não podemos permitir que nós servidores sejamos prejudicados baseado em números que não refletem a realidade econômica do município de Joinville”, afirmou a presidenta Jane Becker.

Ainda sobre a pauta econômica, o reajuste do vale-alimentação também ficou abaixo do exigido pela categoria, que se baseou no valor da cesta básica apurado pelo DIEESE, que é de R$ 425,00. O governo apresentou a proposta de apenas repor a inflação.

Depois de repassadas as cláusulas econômicas e todas as reivindicações sociais da categoria e após cobrança da direção do sindicato para que novas reuniões pudessem aprofundar cada item da pauta, ficaram agendadas duas novas rodadas para os dias 14 e 16.  Para que a categoria conquiste avanços é importante se manter unida, atenta e organizada para o enfrentamento. Participe da assembleia de avaliação das rodadas de negociação no dia 21 de maio às 19h no Sinsej. Juntos somos mais fortes!#1

Exibindo 2 comentários
  • Alessandro Agustin Cohen
    Responder

    Não sei qual foi minha maior decepção ao ler a nota, a falta de vergonha na cara deste prefeito ou ler presidentA.

    Que Deus nos ajude.

  • Hermínia Santos
    Responder

    Colega Alessandro,

    Como é sempre oportuno aprender, então ref a ler “presidentA”, informo: Presidente ou presidenta? Ambas as formas são corretas. Há uma regra antiga de que as palavras com os sufixos ente, ante e inte são comuns de dois gêneros e, assim, comportam o masculino e o feminino.
    Já quanto a “falta de vergonha na cara deste Prefeito” (que você menciona), penso igualzinho.

Deixe um comentário