Na tarde de hoje os servidores de Joinville foram surpreendidos com desconto salarial na folha de pagamento referente ao dia 22 de março – Dia Nacional de Paralisação contra a Reforma da Previdência. A nova direção do Sinsej aproveitou a mesa de negociação e tencionou pela inclusão deste ponto na pauta de reivindicação. Segundo a Secretaria de Gestão de Pessoas, presente na reunião, o desconto foi efetuado porque a antiga direção sindical não enviou ofício para a prefeitura comunicando a paralisação, conforme determina a lei. Após persistência da direção do Sinsej o Prefeito Udo voltou atrás, e os servidores têm garantida a restituição do salário sem falta injustificada.

Nossa luta nesta Data-base apenas começou. É importantíssimo que a categoria se mantenha unida, atenta e pronta para o enfrentamento! Seguimos na luta em defesa dos servidores!

Acompanhe as redes sociais do Sinsej e veja mais informações sobre a primeira rodada de negociação.

.

Exibindo 5 comentários
  • Henrique
    Responder

    Isso já temos….e a reposição da inflação??

  • Darlete Josene Filippi
    Responder

    Não o que temos é desconto e falta injustificada. E onde eu trabalho tanto passou uma lista pra saber quem iria para a Paralisação, a prefeitura soube sim sim com Antecedentes. Como na última Folha Ponto que assinei, já havia o dia como falta injustificada.

  • Maria de Lourdes
    Responder

    Tá… E quando vai ser reposto o que foi descontado.. oq não foi só o dia.. foi sábado e domingo tbm.

    • Servidor Indignado
      Responder

      Quando ocorrer alguma inconsistência na apuração da folha ponto que você discorde. Não assine a mesma. Registre um documento dentro do tempo hábil apontando a(s) ocorrências(s) que não concorda e solicitando correção. Só assine a folha ponto se ela for ajustada. Caso contrário deixa a folha ponto sem assinar, pois estará aguardando um retorno do pedido de correção. Eu tenho algumas folhas sem assinar e não tive meu salário prejudicado, pois somos ameaçados que se não assinarmos, não receberemos nosso pagamento. Se fizerem isto, vá até o sindicato e entre com um processo, pois o fato de uma ou duas ocorrências que você julga errada, não podem anular um mês inteiro trabalhado cumprido corretamente.

  • Marli Quandt
    Responder

    Semana que vem sai uma nota dizendo que não haverá aumento porque a antiga diretoria não protocolou ofício junto ao Papai Noel.
    Na semana seguinte, a nova diretoria informa que recebeu resposta do Papai Noel alegando que, sendo a data-base da categoria 1 de maio, o aumento é responsabilidade do coelhinho da Páscoa.
    Início de junho a diretoria do Sinsej solta uma nota dizendo que, em contato com o coelhinho da Páscoa, formam informados que a antiga diretoria já tinha sido informada que o coelhinho da Páscoa só se responsabiliza por “ovos, chocolates e afins”. Ganhos financeiros são da competência do Gênio da Lâmpada. A antiga diretoria teria omitido esta informação da categoria.
    E, em julho, a direção do sindicato alega que não conseguiu entrar em contato com o Gênio da Lâmpada, uma vez que o Aladim foi demitido, juntamente com os antigos funcionários do Sinsej.
    É gestão sindical versão chapeleiro maluco.

Deixe um comentário