Em reunião neste 13 de novembro, após debaterem a conjuntura nacional e o grave desmonte que corre o setor público nas esferas federal, estadual e municipal,  os representantes por local de trabalho de Joinville aprovaram por unanimidade propostas de calendário escolar e a pré-pauta de reivindicações para a campanha salarial 2020.

Entre os itens aprovados pelos conselheiros estão propostas de cláusulas econômicas, a revisão do PCCS, jornada de 30 horas semanais, abertura imediata de concurso público, eleição para diretores de escolas e de coordenadores das unidades de saúde, garantia de licença para amamentação até que a criança complete seis meses, além de outros. A pré-pauta será avaliada na assembleia geral dos servidores que acontece no próximo dia 27, quando poderá sofrer ainda alterações.

A presidenta do Sindicato, Jane Becker, alertou aos presentes a necessidade da unidade da categoria junto ao Sinsej, como também nas lutas gerais da classe trabalhadora e por um serviço público de qualidade. Após a promulgação da nova lei da Previdência Social, os servidores agora enfrentam as ameaças da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) paralela (133/2019) – que inclui os estados, Distrito Federal e municípios nas regras da nova lei, incluindo ainda a alíquota de contribuição -, da PEC emergencial – que proíbe inclusive a revisão salarial, progressão de carreira, abertura de concurso público, a nomeação dos aprovados e permite ainda a redução de jornada e de salários de até 25% aos trabalhadores no serviço público – e ainda a PEC do pacto federativo – muda a distribuição de recursos entre União, estados e municípios, precarizando ainda mais o serviço público e as condições de trabalho dos servidores.

A presença de toda a categoria na assembleia é imprescindível para darmos um primeiro longo passo nessa campanha salarial que precisa ser forte!

Deixe um comentário