Nem mesmo em período de final de ano o prefeito Udo Döhler (MDB) dá um alívio para a categoria! Depois de protelar a resposta adiando reuniões, agora ele informa que não irá cumprir com a sua palavra em relação ao abono natalino e o fim dos contratos temporários na educação antes do prazo, frutos de acordo na mesa de negociação da Campanha Salarial de 2018.

Mais uma atitude desrespeitosa do prefeito. Ele já havia negado o pedido do Sindicato de extensão do recesso do dia 21 de dezembro a 5 de janeiro de 2020. Este descanso beneficiaria grande parte dos servidores que vem atuando sob forte pressão devido ao excesso de trabalho ocasionado pelo quadro efetivo reduzido devido à falta de concurso. Com esta negativa do prefeito, os servidores terão que retornar na quinta-feira, dia 2.

A direção do Sinsej também está cobrando da prefeitura solução para o caso dos servidores temporários da educação. Apesar de ter se comprometido em não dispensar nenhum trabalhador antes do término do contrato, a interrupção dos acordos tem sido denunciada ao Sindicato. A direção do Sinsej exige que o prefeito cumpra sua palavra e ressalta que a quebra de contrato é ilegal e imoral.

Enquanto tenta nos empurrar a extinção de funções na educação e a criação de novos cargos comissionados através da aprovação do PLC 51/2019 na Câmara de Vereadores em pleno recesso, o prefeito segue afrontando a categoria. Não aceitaremos calados este descaso. Exigimos o respeito que merecemos!

 

Exibindo 3 comentários
  • Adriana
    Responder

    É um desposta. Nada acrescentou. Quando avisamos, elegeram por mais 4 anos, mesmo sem ter apresentado um bom governo. Nada entende de serviço público.

  • Rogério
    Responder

    Ano que vem tem eleição. É dessa forma que ele quer eleger o seu sucessor? Olhem como está a cidade. Quantas promessas de campanhas não cumpridas. Decepção total.
    Eu votei nos primeiros quatro anos, não fez nada, mudei. Nenhuma novidade. Não acredite em político.

  • Gomes
    Responder

    Sem abono…sem palavra. Comissionados aos montes.Vai ficar por isto? Não será obrigado a pagar o que prometeu? Não tem moral pra cobrar nada do SERVIDOR

Deixe um comentário