Secretária Geral do Sinsej, Cláudia Camargo, questiona pontos do PLC do prefeito sobre o Ipreville

O Conselho Administrativo do Ipreville aprovou, por sete votos a um, o projeto de lei complementar, ainda sem número, de autoria do prefeito Udo Döhler que  prevê aumento da alíquota previdenciária de 11 para 14% dos servidores públicos municipais de Joinville, em reunião nesse dia 13 de janeiro. O único voto contrário foi da secretária geral do Sinsej, Claudia Camargo. Para a diretoria do Sindicato, aumentar a alíquota vai onerar ainda mais o servidor que paga sua contribuição em dia para o Ipreville, enquanto o governo municipal não cumpre com suas obrigações. Udo quer que o servidor pague uma conta que é da Prefeitura, com o aval da maioria do Conselho.  O projeto deve tramitar a Câmara de Vereadores e devemos estar atentos para mobilização.

Banco de investimentos 

O PLC também transforma o Ipreville numa espécie de banco de investimentos, desviando o seu caráter público e solidário, além de obrigar o Instituto a implementar um fundo de previdência complementar em até dois anos, essa última conforme imposição da Emenda Constitucional nº 103/19, da Reforma da Previdência. Outra imposição da EC é que pensões por morte não serão mais acumuladas.

Parcelamento das dívidas

Outra aprovação do Conselho com mesmo placar (7×1) foi do parcelamento da dívida de quase 37 milhões da Prefeitura Municipal de Joinville com o Instituto. A proposta foi apresentada pelo próprio secretário municipal da Fazenda, Flavio Alves, durante a reunião e define o parcelamento em 60 vezes, com correção do INPC mais 0,5% sobre a parte patronal, a qual deveria ser depositada pela PMJ em referência aos meses de julho, agosto, setembro, outubro, novembro, dezembro e 13º salário de 2019.

O Sinsej vem alertando desde o início sobre todos os riscos e ataques dessa Reforma da Previdência aos servidores municipais e à população e geral, inclusive com manifestações, paralisações e greve durante 2019. Agora, o Sindicato continua chamando a categoria à luta pela não aprovação da PEC Paralela número 33/2019, que modifica as regras na aposentadoria para os trabalhadores no serviço público estadual e municipal, como também chama à luta pela defesa do Ipreville.

O Ipreville é patrimônio do servidor. Vamos defendê-lo!

Exibindo 4 comentários
  • Agente administrativo
    Responder

    O que está escrito abaixo seria isso:
    Minha mulher aposentada do Ipreville ganhando 7.000,00 ela morre. Eu funcionario público na ativa também do Ipreville ganhando 3.000,00 tenho que escolher qual valor que tenho que receber?
    No caso de morte da minha esposa vou ter que pedir exoneração porque de que adianta trabalhar de graça para a prefeitura. É lógico que vou querer a pensão por morte.

    BANCO DE INVESTIMENTOS
    “O PLC também transforma o Ipreville numa espécie de banco de investimentos, desviando o seu caráter público e solidário, além de obrigar o Instituto a implementar um fundo de previdência complementar em até dois anos, essa última conforme imposição da Emenda Constitucional nº 103/19, da Reforma da Previdência. Outra imposição da EC é que pensões por morte não serão mais acumuladas.”

    Os casos de aposentados dentro da secretaria de educação que trabalham na campanha eleitoral do secretário,voltam a ter o salário de aposentadoria e mais salário de cargo comissionado.
    Nisso ninguém mexe.

  • Agente administrativo
    Responder

    E mais, fiz a contribuição de 35 anos de trabalho e 60 anos de idade, pra quem fica a minha aposentadoria?
    Que absurdo….

  • Agente administrativo
    Responder

    Favor cobrar de seus canditados:

    Nesta sexta-feira, 05/07/2019, as 12 horas, a Comissão Eleitoral se reuniu para a apuração dos votos, conheça os candidatos eleitos:

    CONSELHO ADMINISTRATIVO ATIVO:
    1º Titular: Vanessa da Rosa – Secretaria de Educação
    2º Titular: Douglas Calheiros Machado – HMSJ
    1º Suplente: Roberta Sellmer Pereira – Secretaria de Educação
    2º Suplente: Viviane Czarnobay – Secretaria da Saúde

    CONSELHO ADMINISTRATIVO INATIVO:
    Titular: Clarice Maria Vieira
    Suplente: Liamar dos Santos Pereira

    CONSELHO FISCAL COM FORMAÇÃO TÉCNICA:
    Titular: Dênio Murilo de Aguiar – Sec. De Assistência Social
    Suplente: André Santos Pereira – Secretaria de Educação

    CONSELHO FISCAL SEM FORMAÇÃO TÉCNICA:
    1º Titular: Felipe Gustavo Schwabe – Secretaria de Educação
    2º Titular: Cristiana Soares Carvalho – Secretaria de Infraestrutura Urbana
    1º Suplente: Adilson José Andrzejewski – Secretaria da Saúde
    2º Suplente: Tatiane Costa da Rosa – Secretaria de Educação

  • Cristiano Gomes
    Responder

    Vai ficar por isto MESMO? A REFORMA DIZ QUE AUMENTO SÓ EM CASO DE deficit. E não é o caso. UNIÃO PARA FAZER valer nossos direitos. VIROU ESCRAVIDÃO.

Deixe um comentário