Em reunião realizada dia 4 de fevereiro, no Sinsej, o Conselho de representantes por local de trabalho entendeu que somente organizada a categoria pode conseguir a abertura urgente das negociações referentes à Campanha Salarial 2020 com a prefeitura, assim como manter a alíquota paga ao Ipreville em 11%. Para isso, é importante a presença de cada servidora e servidor à assembleia geral desta quinta-feira, dia 6, na Sede do Sindicato, às 19 horas. Conforme edital publicado no jornal A Notícia, no dia 3, a assembleia tem a seguinte pauta: a) Informes Gerais; b) Aumento da alíquota do Ipreville; d) Abertura das mesas de negociação e deliberação ou não sobre o estado de greve e/ou greve.

Lutas
A reunião começou com uma explicação do projeto de lei complementar do prefeito Udo Döhler, que pretende modificar regras estruturais no Ipreville e transferir para os servidores a responsabilidade da dívida da prefeitura com o Instituto aumentando a alíquota para 14%, e seguiu para um prévio debate sobre a realidade dos trabalhadores e as políticas públicas dos governos federal, estadual e municipal.

Assim, além das lutas locais, os servidores deverão lutar contra a aprovação da proposta de emenda complementar (nº 133/2019)- a pec paralela da Previdência-, contra a reforma da previdência estadual que começou a tramitar em regime de urgência na Assembleia Legislativa do Estado nesse dia 4, último. Como também deverão combater outras propostas e projetos que tramitam no Congresso Nacional que desmontam o serviço público, diminuem os ganhos salariais e colocam em risco a realização de concurso público e a estabilidade do servidor.

É importante a categoria estar atenta para o fato de que sem concurso não é possível garantir a aposentadoria das servidoras e servidores ativos, dos inativos, dos pensionistas e nem o funcionamento do Ipreville. Isso aumenta o adoecimento  por excesso de trabalho, assédio moral e torna mais precário os serviços prestados à população.

Venha somar forças
Se você, servidora e servidor público municipal de Joinville, quer garantir o atendimento das reivindicações, como reajuste  de 8% além da reposição conforme o INPC acumulado no último ano; concurso público; melhores condições de trabalho; aumento do vale alimentação, entre outras, participe da Assembleia Geral e some forças na Campanha Salarial. Para Jane Becker, presidenta do Sindicato, “a nossa organização é nossa moeda para a abertura da negociação”.

Deixe um comentário