Diretores Jane Becker, Marcio Oliveira e a assessora jurídica do Sinsej, Andreia Indalencio, cobram soluções sobre a folha na SGP

Para buscar esclarecimentos sobre possíveis erros e descontos indevidos nas folhas de pagamento emitidas pela Prefeitura de Joinville referentes aos meses de janeiro e dezembro, últimos, a direção do Sinsej reuniu-se com a Secretaria de Gestão de Pessoas da Prefeitura Municipal de Joinville neste 11 de fevereiro.

Desde o final de janeiro, diversos servidores municipais procuraram o Sindicato alegando descontos acima do previsto nas suas folhas. Outros reclamaram que não puderam acessar benefícios como o PASEP pelo fato de a Prefeitura ter lançado duas folhas no mesmo mês de dezembro, aumentando assim a média da renda anual, enquanto alguns ACS’s não receberam a gratificação especial para os profissionais integrantes de equipes e núcleos do Programa Saúde da Família no valor integral.

O Sinsej protocolou ofício (Acesse aqui) na própria reunião, no qual constam questionamentos sobre o sistema contábil da PMJ e também cobra solução sobre a emissão das folhas.

A secretária, Cíntia Friedrich, a diretora da Secretaria, Karine Machado, e a coordenadora da folha, Fernanda Scholze, se comprometeram a buscar contato com a Secretaria da Fazenda para averiguar os problemas e poder resolvê-los.

Sinsej cobra negociação com a PMJ

Diretor Marcio Oliveira distribui jornal do Sinsej, adesivos do Estado de Greve e cartilha sobre assédio moral, produzidos pelo Sindicato para os servidores na SGP.

Os diretores do Sinsej, Jane Becker e Márcio Oliveira, também solicitaram urgente abertura de negociação sobre a pauta da Campanha Salarial, visando adiantar o debate com o prefeito sobre cláusulas que vão além das econômicas. Citaram o caso do projeto de lei complementar nº 03/2020, referente às mudanças no Ipreville e que adentrou na Câmara no dia 10, e do PLCnº 51/2019, que extingue cargo na educação do município e cria gratificações para profissionais que atuarão na Sede da Secretaria, assim como para tratar da necessidade imediata de concurso público.

A secretária falou que a pauta está em estudo interno e disse que iria conversar ainda hoje com o prefeito e com a Secretaria de Governo para adiantar as negociações.

Paralisação dia 13 deve ser grande

A paralisação da categoria está marcada para dia 13, às 9 horas, com assembleia geral na frente da Prefeitura e caso o prefeito não atenda ao pedido de negociação, a Greve pode ser deliberada.

É preciso grande organização de cada um no seu local de trabalho e forte presença na assembleia para demostrar ao prefeito que queremos diretos, valorização e respeito. Só assim conquistaremos as reivindicações.

Leia AQUI o ofício entregue pelo Sinsej à SGP

Ofíco entregue pelo Sinsej à SGP

 

Comentários
  • Gomes
    Responder

    Infelizmente, o gestor não se importa conosco. Ninguém percebeu ainda?

Deixe um comentário