Sem ter resposta do prefeito Udo Döhler sobre o pedido da abertura das negociações da Campanha Salarial 2020 com o Sinsej, a assembleia geral dos servidores públicos de Joinville, realizada na manhã de hoje (13), deliberou por outra paralisação para segunda-feira, dia 17, com nova assembleia geral e mobilização às 14 horas na Câmara de Vereadores de Joinville. Na segunda-feira, os debates e decisões serão sobre aumento da alíquota do Ipreville e a abertura das mesas de negociação e deliberação ou não sobre o estado de greve e/ou greve.
Na educação, por exemplo, a categoria quer barrar a tramitação, na Câmara de Vereadores, do Projeto de Lei Complementar nº 51/2019, que extingue cargo de supervisor II e cria gratificação pra 30 profissionais trabalharem na Sede da Secretaria. O PLC vai à votação no mesmo dia (17).
No caso do Ipreville, o objetivo também é retirar do legislativo o PLC 03/2020, que traz mudanças na estrutura do Instituto, põe em risco a aposentadoria e aumenta o valor de alíquota de contribuição dos servidores para 14%.
A paralisação de hoje foi um termômetro para mostrar ao governo municipal a organização da categoria na luta pelo atendimento das reivindicações, que vão desde o aumento real de 8%; o reajuste de 100% previsto pelo INPC; a realização imediata de concurso público; o pagamento da dívida da prefeitura com o Ipreville, além da  defesa de um serviço público, gratuito e de qualidade em todas as áreas.
Participaram da atividade dois mil servidores de mais de 50 locais, entre escolas, Ceis, unidades básicas de saúde, subprefeitura do Vila Nova, todo o setor de Tecnologia da Informação da PMJ, CREAS, CAPS, Hospital São José, agentes e assistentes administrativos, além de outros.
A supervisora escolar Marisa Vicentin, pontuou que é preciso lutar pela valorização dos servidores e dos serviços públicos. Ela está na luta contra a aprovação do PLC 51 desde que o projeto foi apresentado na Câmara.

Prefeitura desrespeita quem presta o serviço público e a população

Sinsej entrega novo pedido de audiência à PMJ

Em meio à mobilização, uma comissão formada por diretores e servidores se dirigiu ao gabinete do prefeito solicitando uma reunião urgente, que foi negada pelo secretário de governo, Afonso Fraiz. O Secretário tentou enrolar a comissão, que insistiu em ser atendida e saiu de lá com a promessa de um retorno entre hoje e amanhã. O Sindicato vem pedindo o adiantamento das negociações desde dezembro.
João, médico, alertou o Secretário de que, caso o prefeito continue ignorando a pauta dos servidores, as campanhas de vacinação serão afetadas e junto com a chegada dos surtos de malária e dengue, pois faltam condições de trabalho e pessoal para trabalhar nas comunidades.

 

Greve pode ser decretada
A possibilidade de uma greve por tempo indeterminado não está descartada, caso o prefeito continue tratando com descaso a pauta dos servidores.
Para a servidora aposentada Angela, o prefeito tem que ter mais respeito pelo servidor. Se  respeitasse, não precisaríamos parar as atividades para garantir um direito que é nosso, destacou.
Entre tantos ataques dos governos nacional, estadual e municipal aos serviços e servidores públicos, só resta a mobilização de todos para resistir. Dirigentes do Sindipetro, do Sindicato dos Metalúrgicos de Joinville, do Sinte/SC, da Fetram/SC e da CUT/SC estiveram presentes em solidariedade e apoio à esta luta.
A direção do Sinsej parabeniza todos os servidores pela demonstração de força neste dia e convoca toda a categoria para estar na segunda-feira, dia 17, às 14 horas, em frente à Câmara de Vereadores. Faça chuva ou faça sol. Precisamos estar unidos e ampliar ainda mais nossas mobilizações. Queremos direito, valor e respeito!

Exibindo 3 comentários
  • DIONE VERLI
    Responder

    Sou da área da saúde. Nunca participei de uma paralisação e nunca fiz greve. Fica uma pergunta: Alguém que defende tanto uma greve em que envolvam profissionais da área da saúde já precisou de atendimento médico durante uma greve? já precisou levar uma pessoa idosa doente a um PA durante uma greve? Eu acho isso uma baita covardia. Quantos servidores temos na cidade? pq esse sindicato não mobiliza um grande número de servidores de áreas que não afetariam diretamente à população carente de atendimento na área da saúde? ISSO É COVARDIA…Os sindicatos não se modernizam, vivem com a mentalidade retrógrada do século XIX onde aconteceram as primeiras greves. Não tem capacidade de negociação, não são capacitados para sentar a uma mesa e tirar o mínimo do que temos direito. Isso se chama incompetência…Aí jogam a responsabilidade para os servidores e o caos para a população.

    Obs. E antes que venha um demente esquerdista me dizer que a área da saúde e da educação são primordiais numa greve, pois causam mais “impacto”..só digo uma coisa. VC É UM COVARDE.

  • Vilma
    Responder

    Dione Verli COVARDE É VC! Retrogrado e incapaz. Incapaz de enxergar que os politicos jogam a saúde nesse caos para colocar a culpa nos servidores. Se é servidor sabe que não é só na greve que as pessoas penam aguardando atendimento. Que alias, aguardam por especialistas por meses, anos e vão recorrendo as emergencias para aliviar a dor. Vc diz que nunca participou de greve e discorda daação do sindicato, então EXPLIQUE AQUI PRA GENTE COMO RECEBER A INFLAÇÃO SEM GREVE? DIGA COMO OBRIGAR O POLITICO A NEGOCIAR A PAUTA? Q ue inclui CONDIÇÕES de trabalho para atender a população? Vc sabe como fazer porque não faz? Porque não fez até agora e permite esse caos que vivenciamos todo dia? Oh não, é tudo bem organizado e funciona. Não falta medico, nem tecnicos, é o atendente da unidade que não quer trabalhar por isso não agenda a consulta e o paciente vai para o PA. Acorsa do teu coma, ou vc toma uns remedinhos ou é covarde mesmo? É contra a greve mas VC DEVOLVE O VALOR DA REPOSIÇÃO DA INFLAÇÃO DE TODOS OS ANOS? Aquela que só conseguimos com greve, que a iniciativa privada paga na data base obedecendo a lei? COVARDE É VC que consente a atual situação. COVARDE é quem é contra a greve mas recebe sem onus nenhum o aumento anual da inflação.

  • DIONE VERLI
    Responder

    “VILMA” OU “VILMO”. COVARDE É VC. PROVA DISSO É QUE SE ESCONDE ATRÁS DE UM NOME PROVAVELMENTE FICTÍCIO. COLOQUE NOME E SOBRENOME COMO EU FIZ. PRONTO. QUANDO VEM COM ESSE BLA BLA BLA ESQUERDISTA DE RETRÓGRADO E INCAPAZ JÁ VI TUDO…TSC TSC TSC. EU ENXERGO A INCOMPETÊNCIA DOS POLÍTICOS. EU SINTO NA PELE TODOS OS DIAS. PRINCIPALMENTE DOS POLÍTICOS QUE TENHO CERTEZA QUE VC DEFENDEU NOS ÚLTIMOS 17 ANOS E QUE FICA PEDINDO PROS MESMOS VOLTAREM.COMO VC MESMA(O) DISSE Q NÃO É SÓ NA NEGOCIAÇÃO QUE PENAMOS. POIS BEM, O ANO TEM 365 DIAS, MAS QUEREM RESOLVER APENAS NAS SEMANAS QUE PRECEDEM A DATA BASE. O QUE FAZEM ESSE E OS OUTROS SINDICATOS DURANTE O RESTO DO ANO? AHHHH…JÁ SEI. FAZEM CAMPANHA COMO GADO PRA VOLTA DO LULARÁPIO. VÃO PRA DESFILE DE 07 DE SETEMBRO FAZER SINALZINHO DE LULA LIVRE COM OS DEDOS…ENTENDI…COMO RECEBER A INFLAÇÃO SEM GREVE?? MUITO SIMPLES …MANDA OS INCOMPETENTES DOS “NEGOCIADORES” DO SINDICATO FAZEREM UM CURSO COM O PESSOAL DA IGREJA UNIVERSAL…LÁ ELES ARRANCAM CASA, APARTAMENTOS E CARROS DOS “FIÉIS”…MANDA ELES APRENDEREM COMO ARRANCAR A INFLAÇÃO DO ALEMON…AHH FAÇA-ME O FAVOR…UM SINDICATO QUE NÃO CONSEGUE NEM A INFLAÇÃO. EU FAÇO MINHA PARTE. TRABALHO. QUANTA BESTEIRA VC ESCREVEU…BLA BLA BLA…MAIS UMA(UM) IDIOTA ÚTIL QUE SE ACHA GRANDE COISA…TÔ EM COMA? ACORDA SUA(SEU) ZUMBI, GADO ESQUERDISTA ACORDAAAAA. VC É TÃO IGNORANTE E BURRA(O) QUE TEVE ANO QUE NÃO PRECISOU DE GREVE PARA SE CONSEGUIR REPOSIÇÃO DA INFLAÇÃO…É VERDADE…DAS 5000 E TANTAS PREFEITURAS QUE EXISTEM NO BRASIL, TODAS FAZEM GREVE TODOS OS ANOS, SEI…VC É TÃO IDIOTA QUE ACHA QUE EU ACHO ESSA BOSTA DE PREFEITURA UMA PREFEITURA DECENTE…VC É TÃO IMBECIL QUE É CAPAZ DE LER LER LER E AINDA ASSIM NÃO ENTENDER…VOU DESENHAR NA PRÓXIMA VEZ E EXPLICAR O DESENHO.

Deixe um comentário