Em reunião  entre direção do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Joinville e Região (Sinsej), prefeito Udo Döhler e outros representantes do poder Executivo ocorrida dia 16, último, os secretários da Educação e da Saúde afirmaram que estão garantidos em todos os locais de trabalho (unidades) Equipamentos de Proteção Individual (EPI), sabonete líquido e álcool em gel com objetivo de prevenção do o contágio do Covid-19, tanto para servidores públicos como para a população atendida. No entanto, em breve levantamento feito neste dia 17 por representantes por local de trabalho eleitos pelos servidores, verificou-se que a afirmação dos secretários não é uma realidade. Ao contrário, constatou-se que a prefeitura não está nem garantindo o número mínimo de EPIs, conforme orientação do Ministério da Saúde.

Outra questão colocada é que apesar da portaria nº 35/2020 da Secretaria Municipal de Saúde orientar pelo cancelamento de eventos em locais fechados com mais de 100 pessoas, a capacitação para vacinação contra a gripe será realizada na Amunesc, local sem ventilação apropriada, no próximo dia 20.

O Sinsej aproveita para questionar a prefeitura acerca da orientação sobre a visitação aos museus na cidade, que não está suspensa, apesar de esses locais receberem pessoas de diversas localidades do estado, do país e do mundo.

Dentre os locais de trabalho e os materiais faltantes apontados pelos conselheiros estão:

No setor da Saúde:

Hospital Municipal São José
Há relato de que os pacientes em isolamento com suspeita de contágio do novo Coronavírus está sendo feito em uma sala sem régua de Oxigênio, sem ventilação e inapropriada para isso.

Policlínica Aventureiro I
– Mascarás N 95: o pacote veio aberto e o número recebido é insuficiente;
– Há falta de: avental cirúrgico, luva de procedimentos e álcool gel;
Houve também relato de que um idoso de 68 anos foi levado para isolamento no almoxarifado, por falta de orientação;

UBSF Rio do Ferro
– Há falta de: álcool gel;
– Há poucas máscaras N 95;
Os Agentes Comunitários de Saúde não possuem material de proteção necessários.

CREAS Sul
– Há falta de: álcool gel; sabonete, papel toalha, saco de lixo;

Centro POP
– Há falta de: papel toalha desde o início do ano;
– Há insuficiência de material de higiene para usuários;

UBSF Jardim Paraíso V e VI
– Há falta de: álcool gel;

UBSF Km 4
– Há falta de: máscaras N 95, álcool gel;
Falta orientação sobre a continuidade do trabalho de servidores que pertencem a grupos de risco;

No setor da Educação:

Escola Municipal Prefeito Geraldo Wetzel 
– Há falta de: álcool gel; sabonete e papel toalha;

CAIC Mariano Costa
– Há falta de diversos materiais de higiene básica;
Há relatos de que na unidade, a compra desses materiais é feita com arrecadação de dinheiro dos alunos e de que os profissionais precisam levar materiais de suas casas;

CEI Deputado Pedro Paulo Hings Colin
– Há falta de: álcool gel; papel toalha e sabonete líquido;
Há relato de que foi solicitado aos pais para que contribuam com materiais de higiene;

CEI Professora Juliana de Carvalho Vieira
Há relato de que o sabonete líquido foi doado pelos pais e que a Associação de Pais e Professores  precisou comprar papel toalha e álcool gel;

CEI Namir Alfredo Zattar
Há falta de álcool gel
Os servidores é que levam materiais de higiene para uso no banheiro próprio

Deixe um comentário