Com muita indignação, a direção do Sinsej recebeu a notícia sobre a tramitação do projeto de lei ordinária nº 95/2020 que autoriza a Prefeitura de Joinville a conceder subsídio de 7,5 milhões de reais, entre julho e dezembro, às empresas privadas de transporte coletivo em plena pandemia. A indignação torna-se maior ainda ao saber que o projeto é de autoria do próprio prefeito empresário Udo Döhler, que até agora sequer aplicou a revisão da inflação no salários dos servidores públicos, nega qualquer aumento, e há menos de um mês conseguiu aprovar na Câmara um calote de R$ 147 milhões no Ipreville. Tudo isso sob justificativa de faltar dinheiro em caixa no município.
Uma proposta dessas é um verdadeiro acinte, não só aos servidores, como à própria população joinvilense, que além de ter que pagar tarifas de R$ 4,90 e R$ 4,75 por um precário serviço de transporte, sofre com a falta de investimentos nos serviços básicos e essenciais e de cuidados com a nossa cidade.

Projeto será lido na segunda, dia 3
O Projeto deu entrada no Legislativo Municipal no dia 29, quarta-feira, mas será lido no Plenário virtual na segunda-feira, dia 3 de agosto. Além de cobrar um posicionamento contrário dos vereadores, o Sinsej convoca a categoria a participar da sessão virtual que acontece às 17 horas de segunda (3) e será transmitida pelo Canal do Youtube da Câmara.
Entre com sua conta do Google e deixe seu recado de total repúdio a essa proposta.

Deixe um comentário